Consultório de Psicologia: o que considerar ao abrir o seu?

Um grande objetivo dos psicólogos recém-formados é adquirir independência profissional e financeira. Ser o dono do próprio espaço, sem depender da agenda de terceiros, é um verdadeiro sonho para os terapeutas — mas a realidade é cheia de desafios.

Para que esse sonho se torne realidade, é preciso ter atenção em alguns aspectos na hora de montar um consultório de Psicologia. Pensando nisso, preparamos este artigo para indicar o que você precisa ponderar para não ter nenhuma surpresa desagradável e desfrutar o melhor do seu trabalho. Quer entender melhor? Então continue lendo!

Quais são as vantagens de ter um espaço próprio?

Ser dono de um empreendimento é uma das metas mais habituais na carreira de Psicologia. E não é para menos: a psicoterapia é uma atuação que pede mais flexibilidade e autonomia do profissional na hora de tomar decisões práticas — e, consequentemente, proporciona mais crescimento e satisfação no exercício. Veja os motivos que tanto atraem psicólogos para a vida de empreendedor:

Independência

Como não há um chefe ou uma instância superior, o próprio psicólogo é quem responde pelas decisões e pela conduta clínica dos casos. Ele define como será a utilização do espaço, a decoração, o foco da abordagem, a disponibilização do espaço para outras pessoas, além de inúmeros outros aspectos.

A autonomia financeira também é uma parte importante dessa emancipação. Não será necessário repassar uma porcentagem dos rendimentos para outra pessoa; você é o responsável por arcar com as despesas do consultório, mas o lucro também é somente seu.

Flexibilidade

Aspectos práticos como valores, horário de funcionamento, políticas de cancelamento de sessões e até descontos são decididos diretamente pelo responsável. O próprio terapeuta tem mais autoridade sobre o tempo e sobre a gestão do negócio.

Expansão

O histórico pessoal e o networking do psicólogo abrem possibilidades de parcerias com outros consultórios, para indicar pacientes, realizar eventos colaborativos, compartilhar conhecimentos e contribuir para o exercício da Psicologia enquanto ciência.

Satisfação profissional

Um dos maiores benefícios é poder trabalhar com o que gosta. Não é preciso mudar a abordagem para aproveitar uma oportunidade de trabalho, além de poder se aventurar por modalidades alternativas de trabalho da Psicologia que normalmente são segregadas da atuação clínica — como a área organizacional, terapia em grupo e afins.

O que considerar ao abrir um consultório de Psicologia?

Mesmo que seja uma área de atuação com muitas especificidades, um consultório ainda é um negócio. Portanto, é preciso ter uma visão estratégica do empreendimento, pois você terá concorrência e precisará atrair pessoas para serem atendidas. Confira algumas dicas abaixo e garanta uma clínica de sucesso:

Verifique as documentações legais

Ao organizar um espaço próprio, é preciso decidir se ele funcionará ou não como uma empresa — ou seja, se você será pessoa física ou jurídica. Isso é necessário para andar sempre em dia com as obrigações legais e garantir a documentação para o seu negócio, como alvará de funcionamento e autorização sanitária.

Cada estabelecimento estará sujeito a uma carga tributária específica, de acordo com o tipo do negócio e com os lucros declarados no imposto de renda. Para psicólogos no início de carreira e com pouca experiência em empreendedorismo, a melhor solução é procurar uma empresa de contabilidade confiável.

Considere uma sociedade

Ainda que uma das maiores vantagens de abrir um consultório seja a independência, contar com um sócio de confiança é uma boa alternativa para dividir as responsabilidades e garantir o bom funcionamento.

Embora seja preciso chegar a um acordo sobre a divisão dos ganhos, partilhar as despesas é uma saída para viabilizar o empreendimento — afinal de contas, o investimento inicial costuma ser pesado para iniciantes na carreira.

Encontre uma boa localização

O ideal é abrir o consultório em locais estratégicos. Pesquise imóveis em áreas próximas a clínicas médicas, hospitais ou ruas adjacentes a avenidas movimentadas. Essas áreas são mais acessíveis e, portanto, mais fáceis para o deslocamento do seu paciente.

Tenha cuidados com o espaço

Se estiver alugando ou comprando o espaço, observe bem a estrutura física do local antes de fechar negócio. Verifique se há uma recepção e, no mínimo, dois consultórios adequados para atendimentos sem interferências.

Também deve haver banheiros com boa estrutura e privacidade para os pacientes se sentirem à vontade. Não deixe de checar a poluição sonora do trânsito nas imediações para não comprometer os atendimentos.

Na decoração, o ideal é optar por um visual mais clean, com poucos itens de ornamentação e mais direcionado para o minimalista. O ambiente deve ser claro, receptivo e aconchegante, assim, o paciente se sentirá acolhido.

Outro ponto importante é investir em móveis de qualidade, tanto para você, quanto para o seu paciente. Afinal, vocês passarão muitas horas ali, então, nada mais justo do que ter conforto.

Redobre a atenção no gerenciamento

No início, contar com um funcionário para lidar com as minúcias do consultório será caro, e os softwares de gerenciamento de clínica podem ser custosos para os principiantes. Portanto, organize bem a sua própria agenda para não causar constrangimentos aos pacientes e minimizar os imprevistos.

Um aspecto que precisa de muita cautela é o gerenciamento financeiro. Para além do lucro, o dono de um consultório de Psicologia tem várias despesas relacionadas ao espaço, como contas de água, luz, condomínio, manutenção e compra de insumos, além do investimento nos estudos.

Se não puder contratar um contador logo que começar, busque conhecimento de gestão e estude bastante sobre finanças. O funcionamento a longo prazo depende da saúde financeira da sua firma.

Tenha visão estratégica de mercado

Talvez a dica mais importante para o sucesso do negócio: tenha uma perspectiva mercadológica do consultório. É preciso se preocupar com a maneira como o seu consultório se colocará frente aos colegas — que, nesse caso, são concorrentes. Cuide de tudo para garantir o seu espaço nesse meio de atuação, incluindo o marketing e a identidade visual do projeto.

Uma dica interessante é apostar na presença online. Os melhores psicólogos já conquistaram um espaço nas redes sociais, e isso é importante para alavancar o alcance da sua marca. Por esse motivo, considere uma estratégia de marketing digital para obter mais pacientes.

Por que se especializar faz a diferença?

Qualquer psicólogo que já atuou em atendimento clínico sabe que a graduação é só o começo. Cada caso novo é um desafio que se apresenta e, por isso mesmo, o profissional precisa se especializar e se atualizar constantemente, para manter a relevância e garantir bons resultados no tratamento do paciente.

Ainda que o investimento no ambiente seja alto e a decoração seja de bom gosto, de nada adianta se o serviço prestado não for de qualidade. Não há uma fórmula para atender todos os pacientes; cada um deve ser respeitado dentro das suas particularidades.

Por isso, o sucesso do empreendimento está diretamente relacionado ao interesse do psicólogo em se aprofundar nos estudos e à capacidade de procurar aperfeiçoamento e, consequentemente, prestar um atendimento humanizado e competente.

Todo profissional quer tomar as rédeas da carreira e ser responsável pelas próprias decisões. Para os terapeutas, essa autonomia está atrelada à conquista do próprio consultório de Psicologia. Portanto, é essencial ter atenção com os pormenores e cuidar de cada canto do local com carinho. Só assim os pacientes se sentirão acolhidos para voltar e, consequentemente, terão sucesso no tratamento.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como montar o próprio espaço, é preciso dar um passo além. Leia também nossas dicas para conquistar pacientes para o seu consultório!

Powered by Rock Convert

Sem Comentários

Cancelar