O que é preciso para fidelizar pacientes? Entenda!

A necessidade de fidelizar pacientes nem sempre fica clara para os profissionais da Psicologia. Como noções de empreendedorismo não são um assunto comum na graduação, muitos psicólogos realizam um ótimo trabalho na clínica, mas não sabem como garantir uma boa procura para o seu serviço.

Além de conhecimentos sobre negócios, é fundamental saber o que o código de ética profissional permite ou não em relação a isso. Para ajudar nesse desafio, preparamos este post especial. Veja algumas dicas para aumentar a taxa de retorno no seu consultório sem ferir as orientações do Conselho Federal de Psicologia!

Esteja presente na internet

Atualmente, os profissionais da saúde têm descoberto os benefícios do marketing digital. E também já se tornou uma prática muito comum que os pacientes façam uma busca por psicólogos na internet antes de marcar uma consulta. Por isso, ter um perfil em redes sociais ou sites próprios para quem atende na clínica é uma maneira interessante de divulgação.

Além de obter novos pacientes, essa também é uma forma de manter o interesse das pessoas que você atendeu. Suas publicações ajudam a estreitar o vínculo terapêutico e também podem servir para ampliar os resultados da terapia. Afinal, o paciente vai ter contato com conteúdos relevantes e com as reflexões que você propõe, mesmo fora do tempo das sessões.

Mas, para evitar problemas, é preciso conhecer as orientações do Conselho de Psicologia acerca da divulgação de serviços psicológicos. Veja o que diz o código de ética em seu artigo 20:

O psicólogo, ao promover publicamente seus serviços, por quaisquer meios, individual ou coletivamente:

a) Informará o seu nome completo, o CRP e seu número de registro;

b) Fará referência apenas a títulos ou qualificações profissionais que possua;

c) Divulgará somente qualificações, atividades e recursos relativos a técnicas e práticas que estejam reconhecidas ou regulamentadas pela profissão;

d) Não utilizará o preço do serviço como forma de propaganda;

e) Não fará previsão taxativa de resultados;

f) Não fará autopromoção em detrimento de outros profissionais;

g) Não proporá atividades que sejam atribuições privativas de outras categorias profissionais;

h) Não fará divulgação sensacionalista das atividades profissionais.

Ofereça flexibilidade na agenda

A rotina de trabalho, muitas vezes, impõe diversas restrições de horário para os pacientes. Isso significa que você provavelmente vai se deparar com uma alta procura por consultas à noite, enquanto poucas pessoas têm disponibilidade para serem atendidas nas manhãs ou tardes. Portanto, é necessário se adaptar a essa demanda.

Para isso, uma dica central é se organizar para oferecer horários diferenciados, como depois das 17h ou aos sábados. Também é interessante ter flexibilidade para atender pessoas que não conseguirão comparecer sempre na mesma hora. Assim, se você tiver uma clínica própria ou alugar turnos em um local, lembre-se de variar seus períodos de atendimento.

Pense na estrutura da clínica

O seu trabalho não é o único responsável por fidelizar pacientes. O conforto do ambiente clínico também é essencial para que as pessoas se sintam à vontade e desejem continuar frequentando o local. Por isso, vale a pena avaliar esse ponto e investir em móveis e objetos decorativos.

A sala de espera, os banheiros e a sala de atendimento devem ser planejados para passar conforto visual e físico. É importante que os ambientes promovam acolhimento. Nesse sentido, o ideal é usar cores neutras, mas ter atenção para não tornar o espaço muito frio e impessoal.

Sofás e poltronas confortáveis, almofadas e objetos interessantes na decoração são boas dicas nesse ponto. Além disso, quem faz atendimento de crianças precisa pensar em espaços interativos e disponibilizar brinquedos. A segurança em relação aos móveis também é uma necessidade nesses casos.

Atenda com excelência

Nesse ponto, você provavelmente já tem dado bastante atenção. Ser um bom profissional é indispensável para fidelizar pacientes. Se esse diferencial não está presente, os outros trazem pouco ou nenhum resultado. Portanto, investir na sua qualificação e experiência é sempre uma boa escolha.

Psicólogos recém-formados geralmente enfrentam dificuldades no início da prática clínica. Os estudos são a melhor estratégia para superar esses obstáculos. Fazer uma pós-graduação na sua área de interesse, por exemplo, é praticamente obrigatório. Além disso, é muito útil participar de eventos ou grupos de estudos e ter supervisão com um profissional experiente.

Ser bem-capacitado passa mais segurança para os pacientes e faz com que eles se sintam mais bem-assistidos. Não se esqueça também de atender sempre com simpatia e esclarecer todas as dúvidas que a pessoa tenha. É normal que ela chegue intimidada nos primeiros encontros, por isso procure acolher seus sentimentos e deixá-la confortável.

Crie um vínculo positivo

O vínculo é um dos aspectos mais importantes na terapia. Podemos dizer, inclusive, que ele é uma das principais razões por trás da decisão do paciente de continuar ou não comparecendo aos atendimentos. É comum escutar pessoas relatando que interromperam a terapia por não se sentirem à vontade com o profissional.

Nesse ponto, é importante reconhecer que o paciente carrega diversas expectativas em relação ao processo terapêutico. Também é comum que ele projete no psicólogo alguns sentimentos, como se sentir ridicularizado ou julgado ao contar alguma experiência. Por isso, você deve ficar atento às necessidades dele de modo a construir uma relação de confiança.

A empatia é uma habilidade indispensável na clínica. É seu papel identificar e acolher as emoções do paciente. Para isso, esteja sempre atento à fala dele e demonstre uma postura tranquila e sem julgamentos. Estar presente no diálogo também é importante, pois muitas pessoas têm resistência quando os psicólogos falam pouco.

Tenha um canal de comunicação

Outra estratégia para fidelizar pacientes é estar disponível para se comunicar com eles fora das sessões. Isso não quer dizer que você vá fazer atendimentos por telefone (a não ser em situações emergenciais), mas que a pessoa deve ter facilidade para entrar em contato quando necessário — para tirar uma dúvida ou remarcar um encontro, por exemplo.

Muitas vezes, falar apenas com a recepcionista é considerado algo impessoal demais. Logo, é interessante disponibilizar seu e-mail ou telefone para contato. Uma atitude simples que fortalece o vínculo é enviar uma mensagem lembrando o paciente sobre o dia e horário da sessão. Assim, você evita desencontros e se aproxima das pessoas que atende.

Essas foram as nossas dicas para aperfeiçoar sua atuação na clínica e conseguir fidelizar pacientes. Há poucos anos, a psicoterapia ainda era vista com muito preconceito. Felizmente, essa visão está mudando e o tratamento psicológico vem ganhando cada vez mais reconhecimento. Aproveite essa tendência e colha bons resultados na carreira.

E então, o que achou deste post? Quer expressar sua opinião ou tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário logo abaixo!

Powered by Rock Convert

Sem Comentários

Cancelar