TCC e esquizofrenia: quais são os ganhos para os pacientes?

Como bem sabemos, a esquizofrenia afeta o modo como o indivíduo pensa, sente e se comporta. A TCC, então, é uma das abordagens com melhores chances de resultados positivos. O psicólogo tem um papel fundamental no auxílio do paciente, para que adquira autonomia e bem-estar. Essa intervenção, contudo, é feita junto de um psiquiatra.

Continue a leitura e conheça como a terapia cognitivo-comportamental contribui para o tratamento desse transtorno!

Quais são as características de pacientes com esquizofrenia?

As características comuns da esquizofrenia estão relacionadas a:

  • delírios;
  • alucinações;
  • pensamentos confusos;
  • indiferença afetiva;
  • discurso desorganizado;
  • comportamento motor estereotipado, com tiques ou catatônico;
  • dificuldade em manter a concentração;
  • interesse excessivo por religião ou ocultismo;
  • risco de suicídio ou de ferir gravemente outras pessoas.

Assim como todo transtorno psicológico, o diagnóstico é baseado no DSM-V, a partir da análise de sintomas, já que, além de a doença ter traços em comum com outros distúrbios, existem diferentes tipos de esquizofrenia. Também é importante observar a presença de demais sintomas que a acompanham, a exemplo de depressão, ansiedade, TOC e fobia social.

Maurício Neri Piccoloto, diretor do Instituto Cognitivo, alerta para o fato de a investigação precisar ser levada a sério: “é necessária a avaliação médica, além de uma análise complexa. Exige tempo de acompanhamento e o distúrbio não pode ser diagnosticado em uma única sessão”.

Dependendo do grau da esquizofrenia, a doença causa prejuízo profissional e funcional. Por exemplo, alguém com mania de perseguição pode imaginar todos ao redor organizando um complô. Se isso ficar apenas no nível de pensamento, a tendência é surgir sintomas de ansiedade e depressão. Contudo, quando existem comportamentos, é fundamental se precaver, para que eles não coloquem a vida do indivíduo e de outras pessoas em risco.

Um desafio ao psicólogo que cuida desses pacientes é o fato de, muitas vezes, eles não aceitarem a existência da doença. Acreditam que suas experiências são totalmente reais, demandando sabedoria e manejo para lidar com o distúrbio.

Como funciona a TCC para esquizofrenia?

A neuropsicologia oferece grande compreensão sobre a esquizofrenia. A ciência aponta um desequilíbrio nas reações químicas que envolvem determinados neurotransmissores, como a dopamina e o glutamato.

A partir disso, o profissional precisa entender a importância do trabalho conjunto com o psiquiatra, que será o responsável pela administração do antipsicótico. Inclusive, ajustes graduais nas dosagens são recomentadas, pois garantem melhor efetividade e evitam a dependência química da medicação.

O papel da psicologia cognitivo-comportamental, então, é complementar o tratamento, ao agir nos pensamentos e nas emoções, realizando um trabalho de reestruturação cognitiva. Nisso, será preciso entender a lógica criada pelo paciente para, então, estruturar a intervenção nos atendimentos.

Uma técnica usada no tratamento é o questionamento socrático, no qual o psicoterapeuta conduz o paciente a ter uma reflexão mais racional sobre suas crenças e interpretações dos acontecimentos. Em alguns casos, também é necessário o treino de habilidades sociais, de modo a ajudá-lo no convívio com outras pessoas.

Estabelecer um relacionamento forte e de confiança com o paciente deve ser outro objetivo, já que há grande risco de ele se sentir confrontado com as perguntas e se desengajar do processo terapêutico.

De qualquer forma, é importante entender que não existem receitas, e uma análise individual do aspecto cognitivo e do comportamental é bem-vinda. Maurício explica: “a escolha das técnicas passa pela situação e o momento de cada paciente. Em alguns casos, são indicadas técnicas cognitivas e comportamentais. Em outros, predominam as comportamentais. O trabalho com familiares também é fundamental”.

Quais são os ganhos para os pacientes?

Há profunda relação entre TCC e esquizofrenia, por isso os ganhos são grandes. Segundo Maurício, “a psicoterapia cognitiva, quando aplicada em pacientes medicados, auxilia a lidar com sintomas delirantes ou de sensopercepção residuais. Também ajuda no controle dos impulsos e na socialização. Os resultados repercutem diretamente na autoestima e na qualidade de vida”.

Com uma intervenção adequada, é possível que o indivíduo comece a entender suas limitações e até a identificar os gatilhos causadores de alucinações e delírios. Ele aprende a questionar seus pensamentos e suas crenças e torna-se mais ajustado ao convívio social, podendo, em alguns casos, ter uma vida profissional e funcional normalmente.

Os familiares que convivem com ele também se beneficiam, pois a doença leva muitos à exaustão. O fato de a TCC ser um tipo de psicoterapia breve é crucial ao tratamento, que tende a precisar de ações e resultados mais urgentes.

Por que realizar a especialização em TCC?

A partir de toda essa explicação, você deve ter percebido que a intervenção psicoterápica em pacientes com esquizofrenia demanda bastante sensibilidade e acuidade, não é mesmo? Parte do problema está na forma como elem interpretam os fatos. Ao mesmo tempo, costumam ter resistência e se sentem contestados, quando questionados. Como falamos, o elo da relação deve ser muito bem trabalhado.

A terapia cognitivo-comportamental tem justamente esse foco. Atua em pensamentos e emoções e incentiva o profissional no vínculo terapêutico. O trabalho é desafiador, mas necessário, uma vez que promove bem-estar e aumenta a autonomia do indivíduo.

A especialização é a oportunidade para aprender técnicas e estratégias, de modo a tornar o psicólogo mais preparado e seguro nos atendimentos. A aquisição dessa habilidade também é um diferencial, porque nem todos os profissionais do mercado se sentem aptos a uma intervenção mais complexa.

A relação entre TCC e esquizofrenia é perceptível, e os efeitos do tratamento são efetivos. O passo para adquirir esse conhecimento é escolher uma especialização em terapia cognitivo-comportamental. O Instituto Cognitivo tem o curso ideal para preparar o profissional aos atendimentos, propiciando todas as competências e a prática necessária.

Sendo assim, convidamos você a se qualificar profissionalmente. Entre em contato conosco para conhecer o curso Especialização em Terapia Cognitivo-Comportamental e seja um psicólogo diferenciado no mercado!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.